Fundamentos da administração do Microsoft Exchange 2000 Server

Este artigo é o exemplo de um capítulo (capítulo 3) do Microsoft® Exchange 2000 Server Administrator’s Pocket Consultant, Part II: Active Directory Services and Microsoft Exchange 2000 Server (Consultor de bolso do administrador do Microsoft® Exchange 2000 Server, Parte II: Serviços do Active Directory e Microsoft Exchange 2000 Server). Neste capítulo, abordamos os conceitos e tarefas essenciais que você precisa conhecer para trabalhar com o Exchange Server. Para pedir uma cópia do Microsoft® Exchange 2000 Server Administrator’s Pocket Consultant , vá para http://mspress.microsoft.com/prod/books/4218.htm.

Quer esteja usando o Microsoft Exchange 2000 Server pela primeira vez ou aperfeiçoando as suas habilidades, você deve dominar vários conceitos-chave para poder trabalhar de maneira eficiente com o Exchange Server. Você deve saber o seguinte:

  • Como o ambiente do Exchange é organizado

  • Como as informações são armazenadas no Exchange Server

  • Quais processos do Microsoft Windows® são usados com o Exchange Server

  • Como o Exchange Server funciona

Você também precisa saber utilizar o Exchange System Manager. Todos esses tópicos são abordados neste capítulo.

Compreendendo as organizações do Exchange Server

O Exchange Server combina um modelo administrativo relativamente complexo com uma arquitetura de transmissão de mensagens igualmente complexa. Entender como o modelo administrativo e a arquitetura de mensagens são usados e integrados não é fácil. Portanto, vamos começar examinando como os ambientes do Exchange são organizados.

A raiz de um ambiente Exchange é uma organização. É o ponto de partida da hierarquia do Exchange. Os limites da organização do Exchange definem os limites do seu ambiente Exchange. Em outras palavras, o armazenamento de informações do Exchange não fornece informações sobre usuários ou servidores fora da organização, a menos que você informe especificamente ao Exchange Server sobre essas entidades.

Uma organização do Exchange pode servir várias funções de negócios e escritórios. Tipicamente, cada função de negócio ou escritório que recebe suporte dele tem seu próprio servidor que executa o Exchange Server. Por exemplo, se a sua empresa tem escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre, provavelmente você terá pelo menos um servidor executando o Exchange Server em cada localidade. Para servir uma grande base de usuários ou um grande volume de transmissão de mensagens, também podem ser necessários servidores separados que forneçam serviços de protocolo de transferência de correio simples (SMTP)), protocolo de agência de correio versão 3 (POP3), protocolo de transferência de hipertexto (HTTP) e transmissão de mensagens instantâneas. Todos esses servidores podem fazer parte de uma mesma organização do Exchange.

Ao instalar o Exchange Server, você teve a oportunidade de ingressar em uma organização existente ou de criar uma nova organização. O nome da organização que você define ou na qual ingressa é associado permanentemente ao servidor do Exchange. Uma vez designado, você não pode alterá-lo. Como mostra a Figura 3-1, você pode visualizar o nome atual da organização no Exchange System Manager. Aqui, o nome da organização é Primeira.

A organização é a raiz do ambiente Exchange e você pode visualizá-la no Exchange System Manager.

Sob o nó da organização, você encontra os componentes principais que compõem a organização. Esses componentes incluem:

  • Configurações globais

  • Destinatários

  • Grupos administrativos (que podem conter Servidores, Ferramentas e Pastas)

  • Grupos de roteamento

As seções a seguir examinam cada um desses componentes do Exchange e explicam como eles se encaixam na organização.

Configurações globais

As configurações globais aplicam-se a todos os servidores e destinatários de uma organização. As três configurações globais mais comuns com as quais você vai trabalhar são

Formatos de mensagens da Internet Essas configurações globais definem os formatos de mensagens da Internet aceitos para a organização, assim como o modo como você pode usar os formatos de mensagens. As configurações que você pode definir são codificação padrão de mensagens, conjuntos padrão de caracteres e o mapeamento padrão de extensão MIME. As extensões multipropósito de correio da Internet (MIME) são o padrão usado para mensagens com várias partes.

Entrega de mensagens Estas configurações globais definem como e quando as mensagens são entregues. As configurações que você pode definir incluem o nome padrão da conta do administrador de correspondência, as cotas padrão e os filtros de mensagem padrão. Os filtros de mensagem permitem que você descarte mensagens de remetentes específicos e que redirecione as mensagens dependendo de quem é o remetente.

Mensagens instantâneas Se você instalar serviços de mensagens instantâneas na sua organização e ela usar firewalls, você usará estas configurações globais para descrever a topologia do firewall e os servidores proxy de HTTP que estão sendo utilizados.

Destinatários

Um destinatário é uma entidade que pode receber mensagens do Exchange. Os destinatários podem ser usuários, contatos, grupos e outros recursos. Você se refere aos destinatários como ativado para caixa de correio ou como ativado para correio. Os destinatários ativados para caixa de correio (usuários) possuem caixas de correio para enviar e receber mensagens de email. Os destinatários ativados para correio (contatos e grupos) têm endereço de email, mas não têm caixa postal. Assim, eles podem receber mensagens, mas não podem enviar.

Para gerenciar os destinatários da sua organização, você precisa saber estes conceitos básicos:

Como são usadas as diretivas de destinatários As diretivas de destinatários definem a técnica usada pelo Exchange para criar endereços para SMTP, cc:Mail, Exchange Server, X.400, etc. Por exemplo, você pode definir uma diretiva para SMTP que cria endereços de email combinando um alias de email com @dominio.com. Assim, durante a configuração de uma conta para Pedro Silva, o alias de email pedros é combinado com @dominio.com para criar o endereço de email pedros@dominio.com.

Como são usadas as listas de endereços Você usa as listas de endereços para organizar destinatários e recursos, tornando mais fácil localizar aqueles que deseja usar, bem como as informações relacionadas a eles. Durante a configuração, o Exchange cria uma quantidade de listas de endereços padrão. A lista de endereços padrão geralmente mais utilizada é a lista global de endereços, que relaciona todos os destinatários da organização. Você também pode criar listas de endereços personalizadas.

Como são usados os modelos de endereço Os modelos definem a aparência das informações do destinatário no catálogo de endereços. Quando você instala o Exchange Server, são configurados os modelos padrão para usuários, grupos, contatos, pastas públicas, caixas de diálogo de pesquisa e o agente de caixa de correio. Modificando o modelo adequado, você pode alterar a aparência das informações dos destinatários no catálogo de endereços.

Grupos administrativos

Os grupos administrativos definem a estrutura lógica de uma organização do Exchange. Você usa os grupos administrativos para organizar objetos de diretório e gerenciar os recursos do Exchange com eficiência. Os grupos administrativos são mais adequados para organizações grandes ou para organizações que tenham escritórios em várias localidades. Em uma empresa de pequeno ou médio porte, pode não ser necessário utilizar grupos administrativos.

Usando e ativando grupos administrativos

Outro modo de ver os grupos administrativos é como recipientes lógicos nos quais você pode colocar objetos de diretório e recursos do Exchange. Por exemplo, você poderia criar grupos administrativos denominados Engenharia, Marketing e Administração. Dentro desses grupos, você poderia então definir grupos de roteamento, diretivas, servidores, árvores de pastas públicas e outros objetos para cada departamento.

Quando você instala o Exchange Server, o suporte para grupos administrativos está desativado por padrão. Isso é feito principalmente para simplificar o processo de gerenciamento do Exchange. No Exchange System Manager, a ausência do nó do Grupo administrativo indica que o suporte para esse grupo foi desativado. Você pode ativar o suporte para grupos administrativos executando as etapas a seguir.

1.No Exchange System Manager, clique com o botão direito do mouse no recipiente da organização e depois selecione Propriedades.

2.Na guia Geral da caixa de diálogo Propriedades, selecione Exibir grupos administrativos.

3.Quando você clica em OK, o Exchange Server ativa os grupos administrativos e os configura para o modo de operações atual.

Grupos administrativos em operações de modo misto e de modo nativo

A maneira de gerenciar os grupos administrativos depende do modo de operações utilizado. O Exchange Server tem dois modos de operações:

Modo misto Quando opera no modo misto, o Exchange 2000 Server oferece suporte para instalações de Exchange Server 5.0, Exchange Server 5.5 e Exchange 2000.

Modo nativo Quando opera no modo nativo, o Exchange 2000 Server oferece suporte apenas para instalações de Exchange 2000.

Usando operações no modo misto

Por padrão, quando você instala o Exchange Server, o modo de operações é definido como misto. A configuração de modo misto possibilita a interoperabilidade com o Exchanger 5.0 e com o Exchange 5.5, mas limita as capacidades do Exchange 2000 Server. Essas limitações afetam diretamente o modo como os grupos administrativos são usados, e efetivamente forçam o Exchange 2000 Server a lidar com esses grupos da mesma maneira como o Exchange 5.5 lida com sites.

Quando executado com operações no modo misto, o Exchange 2000 Server opera da seguinte forma:

  • Quando coexiste com o Exchange 5.x, o Exchange 2000 Server usa o conceito de site para definir tanto a administração quanto o roteamento. Essa limitação significa que cada grupo administrativo possui apenas um grupo de roteamento funcional, mesmo que você crie grupos de roteamento adicionais.

  • Você não pode mover caixas de correio de um servidor em um grupo administrativo para um servidor em outro grupo administrativo. Essa limitação reduz a sua flexibilidade de gerenciar caixas de correio.

Outras limitações se aplicam se o Exchange 2000 Server for instalado em um site do Exchange 5.5. São elas:

  • Alguns comandos do Exchange System Manager não se aplicam ao Exchange 5.5. Por esse motivo, você não pode usar esses comandos para manipular um servidor do Exchange 5.5.

  • Os objetos dos serviços de diretórios do Exchange 5.5 são replicados no serviço de diretórios do Active Directory com propriedades somente de leitura. Isso significa que não é possível editar essas propriedades por meio do Active Directory. Para fazer isso, você precisará utilizar a ferramenta de administração do Exchange, que pode ser instalada com o Exchange Server.

Ativando e usando operações no modo nativo Quando opera no modo nativo, o Exchange 2000 Server não está sujeito a essas limitações. Você pode ativar o suporte para grupo de roteamento e criar grupos de roteamento adicionais conforme necessário. Isso também significa que o Exchange 2000 Server não será capaz de trabalhar com sites do Exchanger 5.0 ou do Exchange 5.5 que façam parte da mesma organização; é como se os servidores do Exchange 5.0 e do Exchange 5.5 deixassem de existir na organização.

Você pode exibir e alterar o modo de operações realizando as etapas a seguir.

1.No Exchange System Manager, clique com o botão direito do mouse no nó Organização e depois selecione Propriedades.

2.Na guia Geral da caixa de diálogo Propriedades, o campo Modo de operação exibe o modo de operação atual, como Modo misto ou Modo nativo (veja a Figura 3-2).

3.Para alterar o modo de operação de misto para nativo, clique em Alterar modo. Confirme a ação clicando em Sim. Uma vez que você mude para o modo nativo, não poderá voltar para o modo misto.

A guia Geral da caixa de diálogo Propriedades da organização exibe o modo de operações atual. Lembre-se de que uma vez que você mude para o modo nativo, não poderá voltar para o modo misto.

Grupos de roteamento

Os grupos de roteamento são usados em instalações avançadas do Exchange, nas quais é preciso controlar a conectividade das mensagens e os canais de comunicação para grupos de servidores do Exchange. Quando você instala o primeiro servidor do Exchange em uma organização, o servidor é adicionado ao grupo de roteamento padrão. Você não tem controle sobre esse grupo de roteamento com operações em modo misto. Os servidores adicionais instalados na organização do Exchange são adicionados a esse mesmo grupo de roteamento por padrão, e a conectividade de mensagens e a comunicação entre esses servidores são configuradas automaticamente.

Caso você tenha um único grupo de servidores, sem necessidades especiais de comunicação, não precisa criar grupos de roteamento adicionais. Normalmente, você usa vários grupos de roteamento quando precisa conectar filiais ou outras localidades separadas geograficamente, e quando

  • Não existem conexões de banda larga entre essas localidades.

  • Há exigências especiais de conectividade, como necessidade de controlar precisamente como e quando os dados do Exchange são transferidos entre essas localidades.

Uma vez que um servidor é conectado a um grupo de roteamento em particular, você não pode movê-lo para outro grupo de roteamento sem reinstalar o Exchange Server. Por esse motivo, você deve planejar a topologia de transmissão de mensagens da sua organização com muito cuidado. A transferência de mensagens e a comunicação dentro dos grupos de roteamento são manipuladas diretamente com um servidor de destino. A transferência de mensagens e a comunicação entre grupos de roteamento são manipuladas por um servidor ponte.

Um servidor ponte é o ponto de entrada e de saída de todo o tráfego de mensagens entre grupos de roteamento. Os servidores ponte também podem tratar as informações sobre o estado da conexão, utilizadas para determinar os caminhos ideais de roteamento. Você deve designar um servidor ponte em cada grupo de roteamento. Para se comunicarem, os servidores ponte utilizam um conector de grupo de roteamento do Exchange Server, que fornece a conexão direta entre os grupos de roteamento. Você usa um conector de grupo de roteamento para conectar dois grupos de roteamento.

Você pode ativar o suporte para grupos de roteamento executando as etapas a seguir:

1.No Exchange System Manager, clique com o botão direito do mouse no recipiente da organização e depois selecione Propriedades.

2.Na guia Geral da caixa de diálogo Propriedades, selecione Exibir grupos de roteamento.

3.Quando você clica em OK, o Exchange Server ativa os grupos de roteamento e os configura para o modo de operações atual.

Armazenamento de dados no Exchange Server

O Exchange Server armazena informações em dois lugares:

  • Armazenamento de dados do Active Directory

  •  Armazenamento de informações do Exchange Server

Trabalhando com o armazenamento de dados do Active Directory

O armazenamento de dados do Active Directory contém todas as informações de diretório para destinatários, assim como outros recursos de diretório importantes. Os controladores de domínio mantêm o armazenamento de dados em um arquivo chamado NTDS.DIT. A localização desse arquivo é definida quando o Active Directory é instalado e deve estar em uma unidade de disco NTFS (sistema de arquivos NT) formatada para utilização com o Microsoft Windows 2000. Você também pode salvar dados de diretório separadamente do armazenamento de dados principal. Isso é válido para alguns dados públicos, como scripts de logon.

Dois conceitos principais nos quais é preciso se concentrar ao olhar para o Active Directory são:

  • Replicação multimaster

  • Servidores de catálogo global

Usando a replicação multimaster

Os controladores de domínio replicam a maior parte das alterações no armazenamento de dados usando a replicação multimaster, que permite que qualquer controlador de domínio processe as alterações de diretório e as replique para outros controladores de domínio. A replicação é tratada automaticamente para os principais tipos de dados, como:

Dados do domínio Contêm informações sobre objetos dentro de um domínio, como usuários, grupos e contatos.

Dados de configuração Descrevem a topologia do diretório e contêm uma lista de informações importantes sobre o domínio.

Dados de esquema Descrevem todos os objetos e tipos de dados que podem ser armazenados no armazenamento de dados.

Usando catálogos globais

As informações do Active Directory também são disponibilizadas por meio dos catálogos globais. Os catálogos globais são usados durante o logon e para pesquisas de informações. Um controlador de domínio designado como catálogo global armazena uma réplica completa de todos os objetos presentes no armazenamento de dados (para seu domínio host).

Por padrão, o primeiro controlador de domínio instalado em um domínio é designado como o catálogo global. Conseqüentemente, caso exista apenas um controlador de domínio no domínio, o controlador de domínio e o catálogo global ficam no mesmo servidor. Caso contrário, o catálogo global fica no controlador de domínio configurado como tal.

As pesquisas de informações estão entre as principais utilizações do catálogo global. As pesquisas no catálogo global são muito eficientes e podem resolver a maioria das consultas localmente, reduzindo assim a carga da rede e permitindo respostas mais rápidas.

Trabalhando com o armazenamento de informações do Exchange Server

O armazenamento de informações do Exchange contém dados de caixa de correio e de pasta pública. Para facilitar a manipulação do armazenamento de informações, o Exchange 2000 Server permite organizar esse armazenamento em vários bancos de dados. Você pode, então, gerenciar esses bancos de dados individualmente ou em agrupamentos lógicos denominados grupos de armazenamento.

O Exchange Server usa transações para controlar as alterações dos grupos de armazenamento. Como ocorre com os bancos de dados tradicionais, essas transações são registradas em um log de transações. As alterações são então confirmadas ou revertidas, com base no êxito da transação. Em caso de falha, você pode usar o log de transações para restaurar o banco de dados. O recurso que gerencia as transações é o serviço de armazenamento de informações do Microsoft Exchange (STORE.EXE).

Quando estiver trabalhando com grupos de armazenamento, você deve ter em mente o seguinte:

  • Cada servidor do Exchange pode ter até 5 grupos de armazenamento (sendo que um dos grupos de armazenamento é reservado para operações de recuperação de banco de dados).

  • Cada grupo de armazenamento pode ter até 4 bancos de dados. Assim, o número máximo de bancos de dados que um servidor pode ter é de 24 (4 deles reservados para o grupo de recuperação de armazenamento).

Os principais conceitos nos quais você deve se concentrar no que diz respeito ao armazenamento de informações e aos grupos de armazenamento do Exchange são:

  • Formatos do banco de dados do Exchange

  • Armazenamento de mensagens de cópia única

  • Arquivos associados a grupos de armazenamento

Quais formatos de bancos de dados de servidores do Exchange estão disponíveis?

Os servidores do Exchange armazenam bancos de dados em dois arquivos: um arquivo rich-text com a extensão de arquivo .edb e um arquivo de fluxo de conteúdo da Internet com a extensão de arquivo .stm. O arquivo .edb contém texto de mensagens e o arquivo .stm contém os anexos dessas mensagens.

Como os anexos são gravados em formato nativo, não há necessidade de convertê-los para o formato do Exchange (como ocorria nas versões anteriores do Exchange). O desempenho do Exchange Server é muito melhor ao ler e gravar os anexos no formato nativo.

Dois tipos de bancos de dados estão disponíveis:

Bancos de dados de armazenamento particular Contêm caixas de correio

Bancos de dados de armazenamento público Contêm pastas públicas

O que é o armazenamento de mensagens de cópia única?

O Exchange Server usa o armazenamento de mensagens de cópia única para cada banco de dados. Com essa técnica, uma mensagem enviada a várias caixas de correio é

  • Armazenada uma vez se todas as caixas de correio estiverem no mesmo banco de dados.

  • Copiada uma vez para cada banco de dados que contiver uma caixa de correio de destino.

Além disso, se os bancos de dados estiverem em grupos de armazenamento diferentes, o Exchange Server grava a mensagem em cada banco de dados e também no log de transações de cada grupo de armazenamento. Assim, uma mensagem gravada para três bancos de dados que estejam em dois grupos de armazenamento distintos usaria cinco vezes mais espaço em disco do que uma mensagem gravada em um único banco de dados em um único grupo de armazenamento. Para entender isso, considere o exemplo a seguir.

Uma mensagem de 2 MB é enviada a todos os funcionários da empresa. As caixas de correio desses funcionários estão nos armazenamentos particulares A e B, no grupo de armazenamento 1, e no armazenamento particular C, no grupo de armazenamento 2. O Exchange Server grava a mensagem no log de transações dos grupos de armazenamento 1 e 2 e depois grava nos bancos de dados dos armazenamentos particulares A, B e C. Portanto, o armazenamento das mensagens originais de 2 MB consumiu 10 MB de espaço em disco.

Observação Consumir 10 MB de espaço em disco para armazenar uma mensagem de 2 MB pode parecer muito espaço, mas lembre-se das gravações ocultas. Essa mensagem de 2 MB pode ter sido enviada a 1000 funcionários e, sem o armazenamento de mensagens de cópia única, o Exchange Server utilizaria a colossal soma de 2 GB de espaço em disco.

Quais arquivos são associados aos grupos de armazenamento?

Cada grupo de armazenamento do Exchange Server possui vários arquivos associados a ele. Esses arquivos são:

EDB.CHK Um arquivo de verificação que contém fragmentos de arquivos recuperados

EDB.LOG Um arquivo de log de transações para o grupo de armazenamento

RES1.LOG Um arquivo de log reservado para o grupo de armazenamento

RES2.LOG Um arquivo de log reservado para o grupo de armazenamento

TMP.EDB Um espaço de trabalho temporário para o processamento de transações

NomeBD.EDB Arquivos rich-text de banco de dados para bancos de dados individuais

NomeBD.STM Arquivos de fluxo de conteúdo da Internet para bancos de dados individuais

Para criar um novo grupo de armazenamento com um armazenamento público e um armazenamento particular, você precisará de aproximadamente 50 MB de espaço livre em disco. Os arquivos requeridos pelo grupo de armazenamento utilizam um mínimo de 11 MB de espaço em disco. O mínimo espaço em disco para armazenamentos particulares e públicos é de 5 MB e 8 MB, respectivamente. Embora o total do espaço em disco usado seja de aproximadamente 24 MB, você precisará de espaço adicional durante a criação e para operações de leitura/gravação.

Usando e gerenciando os serviços do Exchange Server

Cada servidor do Exchange na organização depende de um conjunto de serviços para rotear mensagens, processar transações, replicar dados e muito mais. Para gerenciar os serviços do Exchange, você utiliza o nó Serviços, no console de gerenciamento do computador, que você inicia realizando as etapas a seguir.

1.Escolha Iniciar, escolha Programas, escolha Ferramentas administrativas e, em seguida, selecione Gerenciamento do computador. Ou, na pasta Ferramentas administrativas, selecione Gerenciamento do computador.

2.Clique com o botão direito do mouse na entrada Gerenciamento do computador, na árvore do console, e, no menu de atalho, selecione Conectar-se a outro computador. Agora você pode escolher o servidor do Exchange cujos serviços deseja gerenciar.

3.Expanda o nó Serviços e aplicativos clicando no sinal de mais (+) ao lado dele e, em seguida, escolha Serviços.

A Figura 3-3 mostra a exibição de Serviços no console de gerenciamento do computador. Os principais campos dessa janela são usados da seguinte maneira:

Nome O nome do serviço.

Descrição Uma breve descrição do serviço e de seu propósito.

Status O status do serviço, como iniciado, em pausa ou interrompido. (Interrompido é indicado por uma entrada em branco.)

Início A configuração de inicialização do serviço.

Observação Os serviços automáticos são iniciados na inicialização. Os serviços manuais são iniciados pelos usuários ou por outros serviços. Os serviços desativados estão desligados e não podem ser iniciados.

Conta executada sob A conta sob a qual o serviço faz logon. O padrão, na maioria dos casos, é a conta do sistema local.

Se o seu navegador não oferecer suporte a quadros in-line, clique aqui para exibir em uma página separada.

Use o nó Serviços, da janela Gerenciamento do computador, para gerenciar os serviços do Exchange Server.

Usando os principais serviços do Exchange Server

A Tabela 3-1 apresenta um resumo dos serviços essenciais para as operações normais do Exchange. Observe que os serviços que estão disponíveis em um servidor do Exchange específico dependem de sua configuração. Mesmo assim, existe um conjunto principal de serviços que você encontrará na maioria dos servidores do Exchange.

Tabela 3-1 Principais serviços do Exchange Server

Nome

Descrição

Coordenador de transações distribuídas

Coordena as transações que são distribuídas por múltiplos bancos de dados, filas de mensagens e sistemas de arquivos.

Log de eventos

Registra mensagens de informações, avisos e erros sobre eventos emitidas pelo Exchange Server e por outros aplicativos.

Serviço Admin do Internet Information Services (IIS)

Permite que você administre o servidor virtual de HTTP do Exchange em um snap-in do IIS.

Evento do Microsoft Exchange

Monitora pastas e gera eventos para aplicativos do Exchange 5.5.

Protocolo de acesso a mensagens da Internet versão 4 (IMAP4) do Microsoft Exchange

Fornece serviços IMAP4 do Exchange.

Armazenamento de informações do Microsoft Exchange

Gerencia o armazenamento de informações do Exchange.

Pilhas do agente de transferência de mensagens (MTA) do Microsoft Exchange

Fornece serviços X.400 do Exchange.

POP3 do Microsoft Exchange

Fornece serviços POP3 do Exchange.

Mecanismo de roteamento do Microsoft Exchange

Processa o roteamento de mensagens do Exchange e as informações de estado da conexão.

Serviço de replicação de site do Microsoft Exchange

Replica informações do Exchange dentro da organização.

Microsoft Exchange System Attendant

Monitora o Exchange e fornece serviços essenciais.

Protocolo de transferência de notícias de rede (NNTP)

Transporta mensagens de grupos de notícias pela rede.

Protocolo de transferência de correio simples (SMTP)

Transporta mensagens de email pela rede.

Serviço de publicação da World Wide Web

Fornece serviços HTTP para o Exchange Server e para o Internet Information Services.

Iniciando, interrompendo e fazendo uma pausa nos serviços do Exchange Server

Como administrador, freqüentemente você precisará iniciar, interromper ou colocar em pausa os serviços do Exchange. Os serviços do Exchange são gerenciados por meio do console de Gerenciamento do computador ou pelo Exchange System Manager.

Para iniciar, interromper ou fazer uma pausa nos serviços usando o console de Gerenciamento do computador, siga as etapas a seguir.

1.Clique com o botão direito do mouse na entrada Gerenciamento do computador, na árvore do console, e, no menu de atalho, selecione Conectar-se a outro computador. Agora você pode escolher o servidor do Exchange cujos serviços deseja gerenciar.

2.Expanda o nó Serviços e aplicativos clicando no sinal de mais (+) ao lado dele e, em seguida, escolha Serviços.

3.Clique com o botão direito do mouse no serviço que você quer manipular e, em seguida, selecione Iniciar, Interromper ou Pausa, conforme apropriado. Você também pode escolher Reiniciar para fazer com que o Windows pare e volte a iniciar o serviço após uma pausa breve. Além disso, se você fizer uma pausa em um serviço, poderá usar a opção Continuar para retomar a operação normal.

Dica Quando os serviços que são configurados para iniciar automaticamente falharem, o status é exibido em branco e geralmente você recebe uma notificação numa janela pop-up. As falhas de serviço também podem ser registradas nos logs de eventos do sistema. No Windows 2000, você pode configurar ações para tratar das falhas de serviços automaticamente. Por exemplo, você pode fazer com que o Windows 2000 tente reiniciar o serviço para você. Veja a seção “Configurando a recuperação do serviço”, neste capítulo, para obter detalhes.

Vários serviços do Exchange são usados para gerenciar servidores virtuais do Exchange. Esses serviços são:

1.IMAP4 do Microsoft Exchange para o servidor virtual de IMAP4

2.POP3 do Microsoft Exchange para o servidor virtual de POP3

3.NNTP para o servidor virtual de NNTP

4.SMTP para o servidor virtual de SMTP

Se você iniciar, interromper ou fizer uma pausa nesses serviços no console de Gerenciamento do computador, também estará gerenciando o servidor virtual relacionado. Você também pode usar o Exchange System Manager para executar essas tarefas. Para fazer isso, execute as etapas a seguir:

1.No Exchange System Manager, acesse o nó Servidores, dentro do grupo administrativo ou de roteamento que deseja gerenciar. Tipicamente, você expande Grupos administrativos, Primeiro grupo administrativo e, então, o nó Servidores.

2.Na árvore do console, selecione o servidor do Exchange que deseja gerenciar e, em seguida, clique duas vezes em Protocolos. Agora você deve ver uma listagem dos protocolos instalados no servidor.

3.A pasta Protocolo armazena os servidores virtuais relacionados. Por exemplo, a pasta IMAP4 armazena o servidor virtual de IMAP4 padrão e todos os outros servidores de IMAP4 que você tenha criado.

4.Clique com o botão direito do mouse no servidor virtual que você quer iniciar, interromper ou colocar em pausa e, em seguida, no menu de atalho, selecione Iniciar, Interromper ou Pausa, conforme apropriado.

Configurando a inicialização do serviço

Os serviços essenciais do Exchange são configurados para iniciar automaticamente, e normalmente não devem ser configurados com qualquer outra opção de inicialização. Dito isso, caso esteja solucionando um problema, talvez você queira que um serviço inicie manualmente. Também pode ser necessário desativar um serviço para que os servidores virtuais relacionados a ele não iniciem. Por exemplo, se você mover os servidores virtuais de POP3 para um novo servidor para fins de equilíbrio de carga, é desejável desativar o serviço POP3 do Microsoft Exchange no servidor do Exchange original. Dessa forma, o serviço POP3 não é usado, mas pode ser ativado se necessário (sem que seja preciso reinstalar o suporte para POP3).

Você configura a inicialização do serviço executando as etapas a seguir.

1.No console de Gerenciamento do computador, conecte-se ao servidor do Exchange cujos serviços deseja gerenciar.

2.Expanda o nó Serviços e aplicativos clicando no sinal de mais (+) ao lado dele e, em seguida, escolha Serviços.

3.Clique com o botão direito do mouse no serviço que deseja configurar e, em seguida, escolha Propriedades.

4.Na guia Geral, use a seleção Tipo de inicialização para escolher uma opção de inicialização, como mostra a Figura 3-4. Selecione Automático para iniciar os serviços na inicialização. Selecione Manual para permitir que os serviços sejam iniciados manualmente. Selecione Desativado para desativar os serviços.

5.Clique em OK.

Se o seu navegador não oferecer suporte a quadros in-line, clique aqui para exibir em uma página separada.

Para solucionar problemas, pode ser recomendável alterar a opção de inicialização do serviço na caixa de diálogo Propriedades.

Configurando a recuperação do serviço

Você pode configurar os serviços do Windows para que adotem ações específicas quando um serviço falhar. Por exemplo, você pode tentar reiniciar o serviço ou reinicializar o servidor. Para configurar as opções de recuperação de um serviço, siga estas etapas.

1.No console de Gerenciamento do computador, conecte-se ao computador cujos serviços deseja gerenciar.

2.Expanda o nó Serviços e aplicativos clicando no sinal de mais (+) ao lado dele e, em seguida, escolha Serviços.

3.Clique com o botão direito do mouse no serviço que deseja configurar e, em seguida, escolha Propriedades.

4.Selecione a guia Recuperação, como mostra a Figura 3-5. Agora você pode configurar as opções de recuperação para a primeira, para a segunda e para as tentativas de recuperação subseqüentes. As opções disponíveis são:

  • Não executar nenhuma ação

  • Reiniciar o serviço.

  • Executar um arquivo

  • Reinicializar o computador

1. Configure outras funções com base nas opções de recuperação selecionadas anteriormente. Se você optou por reiniciar o serviço, deverá especificar uma espera de reinicialização. Após interromper o serviço, o Windows 2000 aguarda o tempo especificado antes de reiniciá-lo. Na maioria dos casos, uma espera de 1–2 minutos deve ser suficiente.

2. Clique em OK.

Usando a guia Recuperação na caixa de diálogo Propriedades, você pode configurar a recuperação automática de serviços em caso de falha.

Ao configurar opções de recuperação para serviços críticos, pode ser recomendável tentar reiniciar o serviço na primeira e na segunda tentativas e, então, reinicializar o servidor na terceira tentativa.

© 2000 Microsoft Corporation. Todos os direitos reservados.

As informações contidas neste documento representam a posição atual da Microsoft Corporation no que diz respeito às questões abordadas na data de publicação. Como a Microsoft deve responder às condições de mudança de mercado, as informações não devem ser interpretadas como um compromisso por parte da Microsoft, sendo que esta não pode garantir a precisão de qualquer informação apresentada após a data de publicação. Este informe oficial é fornecido apenas para fins informativos. A MICROSOFT NÃO OFERECE QUAISQUER GARANTIAS, EXPLÍCITAS OU IMPLÍCITAS, NESTE RESUMO.

Obedecer a todas as leis de direitos autorais aplicáveis é responsabilidade do usuário. Sem limitar os direitos autorais, nenhuma parte deste documento pode ser reproduzida, armazenada ou introduzida em um sistema de recuperação, ou transmitida de qualquer forma, por qualquer meio (eletrônico, mecânico, fotocópia, gravação ou qualquer outro), ou para qualquer propósito, sem a permissão expressa, por escrito, da Microsoft Corporation.

A Microsoft pode ter patentes ou requisições para obtenção de patente, marcas comerciais, direitos autorais ou outros direitos de propriedade intelectual que abrangem o conteúdo deste documento. A posse deste documento não lhe confere nenhum direito sobre as citadas patentes, marcas comerciais, direitos autorais ou outros direitos de propriedade intelectual, salvo aqueles expressamente mencionados em um contrato de licença, por escrito, da Microsoft.

Microsoft, Outlook, Windows e Windows NT são marcas registradas ou marcas comerciais da Microsoft Corporation nos Estados Unidos e/ou em outros países.

Os nomes de companhias e produtos reais aqui mencionados podem ser marcas comerciais de seus respectivos proprietários.

http://www.technetbrasil.com.br/

Compatilhe esse artigo!

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.