Borland Delphi – Curso Intermadiário

Nosso colaborador Jackson Pires voltou para nos presentear com uma nova super apostila, continuação da sua primeira colaboração, o curso continua, portanto vamos ver o que vamos encontrar nesse segundo módulo, se você não leu a primeira parte clique aqui e confira.

Desenvolvendo Aplicações com Banco de Dados é o assunto desse segundo módulo, a apostila trata desde os tipos até a arquitetura do banco de dados e fala como trabalhar no Delphi, está muito objetiva, um guia para ser guardado. Leia um fragmento e comprove:

Tipos de Bancos de Dados

Servidores de Banco de Dados Relacionais variam na maneira em que as informações são armazenadas e na maneira em que elas são acessadas por vários usuários. O Delphi provê acesso a dois tipos de acesso à Servidores de Banco de Dados Relacionais.

– Servidores de banco de Dados Remoto residem um uma máquina separada. As vezes os dados provem de servidores de banco de dados remotos que nem sempre é única máquina, na maioria das vezes está distribuída em alguns servidores. Embora os servidores de banco de dados variem a forma de armazenar as informações, todos eles fornecem uma relação lógica comum aos clientes. È comum interface baseda em (Structured Query Language – SQL) . Por causa desse tipo de acesso usando SQL estes servidores também são chamados de SQL Servers. Exemplos de Banco de Dados Remoto que usam servidores SQL são InterBase, Oracle, Sybase, Informix, Microsoft SQL server, e DB2.

– Banco de Dados Locais residem em um drive local ou em uma LAN (Local Area Network). Frequentemente é usada API’s para acessar os dados. Quando são compartilhados por diversos usuários, usam mecanismos travamento baseados em arquivos. Por causa disso, às vezes são chamados de banco de dados baseados em arquivos. Exemplos de banco de dados locais são Paradox, dBASE, FoxPro, and Access.

Aplicações que usam banco de dados são chamados de “Aplicações de camada simples” porquê a aplicação compartilha apenas um sistema de arquivos. Aplicações que usam Banco de Dados Remoto são chamados de “Aplicações de duas camadas” ou “Aplicações de múltiplas camadas” porque a aplicação e o banco de dados operam independente do sistema (ou camada).

Para escolher um tipo de Banco de Dados para usar dependerá de alguns fatores. Por exemplo, seus dados já podem estar armazenados em um banco de dados já existente. Se você tiver que criar o banco de dados e suas tabelas você terá que considerar as seguintes questões.

– Quantos usuários estão compartilhando as tabelas? Servidores de Banco de Dados Remoto são designados para o acesso por diversos usuários ao mesmo tempo. Fornecem a sustentação para múltiplos usuários através de um mecanismo chamado transações. Algumas bases de dados locais (tais como interBase local) fornecem também a sustentação da transação, mas muitas fornecem somente mecanismos de travamento de arquivos, e algumas não fornecem nenhuma sustentação multiusuário.

– Qual a quantidade de dados que as tabelas armazenarão? Os usuários remotos da base de dados podem aramazenar mais dados do que bases de dados locais. Alguns usuários remotos da base de dados estão projetados para quantidades de dados de grandes armazenando quando outros estão otimizados para outros critérios (tais como updates rápidos).

– Que tipo de desempenho (velocidade) você requer da base de dados? As bases de dados locais são geralmente mais rápidas do que usuários remotos da base de dados porque residem no mesmo sistema que a aplicação da base de dados. Os usuários remotos diferentes da base de dados otimizadas podem suportar tipos diferentes de operações, assim se você pode quiser considerar o desempenho ao escolher um usuário remoto da base de dados.

– Que tipo de suporte estará disponível para o adminstrador da base de dados? As bases de dados locais requerem menos suporte do que usuários remotos da base de dados. Tipicamente, são menos cara operar-se porque não requerem usuários separados instalados ou licenças caras.

Agora clique no link a seguir e estude a apostila toda!

Clique aqui para fazer o download

Material gentilmente cedido por
Jackson Pires de O. S. Júnior

Compatilhe esse artigo!

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.