Um Momento RICO de Conhecimento

Cartazes de cinema, teatro, capas de revistas e livros, sinalização, ilustração, identidade e comunicação visual de museus e projetos gráficos de uma maneira geral. Este é o vasto campo de trabalho de Rico Lins. É assim que começa a descrição no site do centro cultural da Caixa da exposição “Rico Lins: uma Gráfica de Fronteira“. Seria “só” isso se não fosse a minha ida no último sábado para um visitação guiada, melhor ainda, guiada pelo próprio artista. Isso mesmo, conhecer o processo de criação e as histórias que envolveram algumas das peças mais importates do portifólio de Rico Lins.

O primeiro contato foi encantador, Rico é uma pessoa simples e simpática, quando começou a falar sobre seu ofício, já na explicação do nome que levava a mostra e seu entendimento pelo sentido da palavra “fronteira” no título, arrebatou a todos que o seguiram por toda a exposição em silêncio e com tamanha admiração que ninguém conseguia esconder.

BusinessWeek- produção industrial de capas e participação em todos as fases do processo
BusinessWeek- produção industrial de capas e participação em todos as fases do processo

A ocasião foi especial, Rico falou do processo de criação de obras importantes, das histórias interessantes que as envolviam e até mesmo de como o mercado funciona para um profissional da sua área, enriquecedor para os muitos estudantes e profissionais que ali estavam para ainda participar de um workshop exclusivo.

Uma experiência dividida com o público presente, que deixa qualquer pessoa, profissional ligado a área ou não, maravilhada, é o processo de criação de capas da revista Business Week, onde em suas quatro edições mundiais por semana são criadas até 30 capas para serem escolhidas de acordo com o processo editorial da semana de cada região do mundo.

Rico é uma profissional diferenciado, a frente do seu tempo, prático e ao mesmo tempo detalhista e não deixa nada sem explicação, na sua obra, como mostrou durante a exposição, tudo tem uma razão de existir e um porque de compor a imagem final, muitas foram as informações deixadas e o entendimento que o artista tem do universo que o cerca.

Fantástico a diferenciação de comunicação e informação feita por Rico, influências que a arte tem que causar ao seu interlocutor, na opinião do artista. O exemplo usado foi o Cartaz para o projeto musical itinerante “Pixinguinha” para Funarte em 1985, onde segundo o artista, as pessoas faziam olhos, colavam chicletes para representar detlalhes no perfil que caracteriza Pixinguinha no cartaz.

Cartaz para o projeto musical itinerante "Pixinguinha". Comunicação criada com o perfil do artista.
Cartaz para o projeto musical itinerante

Outro momento marcante, foi sobre o registro do poster para conferência sobre os efeitos da ditadura militar na cultura brasileira durante os anos 1964-84, na época entrou em cartaz nos cinemas brasileiros o filme “Je vous salue, Marie” que sofreu censura, e para fazer uma referência sobre a volta da censura bem na época da conferência, Rico utilizou uma imagem de uma tesoura como se a mesma tivesse sido tirada do lixo, resgatada após o descarte. Fantástico!

Poster para conferência sobre os efeitos da ditadura militar na cultura brasileira durante os anos 1964-84
Poster para conferência sobre os efeitos da ditadura militar na cultura brasileira durante os anos 1964-84

Teria que escrever muito mais artigos para descrever todos momentos mágicos da mostra, como por exemplo o cartaz do filme do Almodovár, onde Rico brinca com o efeito de muitos cartazes que se colam um por cima do outro e vão compondo imagens, assim como as personagens do filme e ainda a brincadeira com referências de Andy Warhol como influência pop americana e o questionamento sobre o kown-how da tencologia brasileira na capa da revista Exame.

Capa para a revista Exame - Andy Warhol e tecnolgia nacional - Irreverência
Capa para a revista Exame - Andy Warhol e tecnolgia nacional - Irreverência

Foi uma experiência sem igual, para ficar registrada. Deixo aqui algumas das obras que vi por lá e ficaram marcadas pelos registro de Rico Lins e ainda o vídeo da mostra que dá um resumo, se isso é possível, na obra de Rico Lins e fico com aquela sensão de orgulho por ser brasileiro.

Vídeo: Rico Lins: Uma Gráfica de Fronteira 

Compatilhe esse artigo!

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.