Faça um Pentium virar um PC respeitável com Linux

Sabe aquele velho micro Windows que está pedindo água há um tempão, gritando pela aposentadoria? Ele pode ganhar vida nova com uma recauchutagem sob a batuta do Linux. O pingüim não exige tanta máquina para funcionar — e os programas feitos para esse ambiente tendem a ser bem mais enxutos. Quanto fica essa brincadeira? Pouco mais de 100 reais, caso se queira o conforto de usar pacotes de programas já consolidados em CDs. Ou nada, nadinha, se houver disposição de fazer downloads noite adentro. O gasto maior, em qualquer dos casos, é de tempo e atenção. Para quem nunca mexeu com Linux e não está familiarizado com linhas de comando, montar um PC com Linux pode ser um desafio pesado. Para heavy users de computação, ou para quem adora fuçar em software, é diversão garantida.

Você ganha intimidade com um sistema operacional em ascensão, amplia sua liberdade de escolha e de quebra fica com um PC em ponto de bala para fazer tarefas de escritório, navegar na internet e detonar com games e MP3. Seja como for que você se defina, arme-se de petabytes de paciência para procurar drivers de periféricos para Linux. Em se tratando do pingüim, não é brincadeira, não.

 

Preparação

 

1. A primeira providência é fazer backup do PC, que deixará de ser Windows, para o caso de você ter um surto de arrependimento tardio.

2. Faça a lista dos dispositivos internos e externos (placa de vídeo, impressora etc.), com marca e modelo, para facilitar a busca de drivers se necessário. Obtenha esses dados no Windows, clicando em Meu Computador com o botão direito do mouse. Selecione Propriedades e, na aba Hardware, clique no botão Gerenciador de Dispositivos.

3. Pesquise na internet se há drivers para os seus dispositivos e softwares similares aos que você costuma usar na distribuição que escolheu. Se puder, busque na web o que falta e grave num CD, para o caso de o sistema não se entender com o seu modem e deixá-lo sem acesso.

4. Separe tudo o que você vai usar. Entre as mais de 160 distribuições de Linux existentes, INFO optou por uma brasileira, a Conectiva Linux 8.0, que custa 109 reais em CDs, ou nada, se baixada pela internet (www.infoexame.com.br/aberto/download/2439.shl). Usamos uma máquina com processador Pentium II de 333 MHz, 256 MB de RAM, disco rígido de 20 GB, gravador de CDs Philips e impressora HP. Ao pacote da Conectiva, acrescentamos a suíte de aplicativos de escritório OpenOffice 1.0.1 em português do Brasil, o browser Netscape 7.0 e os games Quake III Arena e Unreal Tournament, que ninguém é de ferro.

 

Instalação do sistema

 

1. Coloque o CD 1 do Conectiva Linux 8 no leitor de CD e ligue a máquina. O micro dará a partida pelo CD-ROM, e o sistema começará a reconhecer e montar dispositivos, procurando portas, protocolos etc., num processo que leva uns dois minutos. Abre-se a tela de idiomas com as opções português, espanhol e inglês. Escolha e clique Próximo.

2. Configure mouse e teclado. O sistema costuma reconhecer automaticamente o mouse, mas, na tela de seleção, é possível escolher manualmente o modelo e testar. Clique em Próximo e passe para o teclado. Verifique se o sistema o reconheceu. Se o seu teclado tiver a tecla Ç (cê-cedilha), deve estar selecionado como Brazilian ABNT2 na lista de modelos e como Brazilian, na lista de layouts. Se não tiver Ç, pode estar entre os modelos, genéricos com layout U.S. English. Faça o teste com palavras acentuadas na área própria e clique Próximo. O sistema carrega os módulos do kernel.

3. Selecione o perfil de instalação. No menu de perfis, escolha Todos os pacotes e, em Opções de Instalação, marque Forçar Seleção de Pacotes para instalar todos os pacotes de programas que interessam de uma vez. Em Particionamento do Disco, acione o botão Auto Particionamento e clique Próximo. Na caixa Seleção de Componentes, pressione o botão Instalar Todos os Pacotes. Embora pareça que não sejam necessários os pacotes de desenvolvimento em C ou C++, por exemplo, eles contêm bibliotecas que podem fazer falta mais adiante, na instalação de algum software. Próximo.

4. Uma hora depois, todos os pacotes instalados, surge a tela Configuração de Rede. Há três opções a considerar: Sem Interface de Rede, para máquinas solitárias, Configurar Rede Via DHCP, para receber um endereço IP do servidor, ou Configurar Rede Manualmente se você for do ramo. Nessa máquina solitária, clique Sem Interface de Rede e Próximo.

5. Em Seleção da Placa de Vídeo, sua placa deverá ser detectada automaticamente. Se não, busque na lista. Note que entre as placas suportadas há modelos recentes, como nVidia GeForce e ATI 3D, e os antiguinhos da Trident, Diamond e Creative. Próximo. Selecione o modelo de seu monitor, abrindo a lista do fabricante correspondente. Próximo. Agora configure a área de trabalho. Escolha a resolução e experimente se o sistema a aceita clicando em Tentar Configuração. Próximo.

6. Hora de configurar o usuário. O Linux, nascido para redes, trabalha com uma hierarquia de usuários comandados pelo superpoderoso root. Como na sua máquina quem manda é você, no campo Definição da Senha de Root dê sua senha e confirme. Anote-a em algum lugar seguro porque sem ela não dá para mexer em nada importante. Crie um usuário comum para você mesmo antes que algum aventureiro tenha essa idéia, invente outra senha e confirme. Próximo.

7. Configure o Loader, o motor de partida do sistema. No campo Escolha o Gerenciador de Inicialização, há as opções GRUB e LILO. Experimente o GRUB, o mais recente, e, em Local para Instalar o Gerenciador de Inicialização, marque Registro Mestre de Inicialização (MBR), a primeira parte a ser lida na inicialização do disco rígido. Clique Próximo e espere a gravação de suas escolhas.

8. “Quer criar um disco de boot?”, pergunta a tela seguinte. Queira. Assim, se der qualquer problema na inicialização, o disquete o salvará. A instalação termina após 1 hora e meia do início, aproximadamente. Clique em Sair e tire o CD do drive imediatamente, caso contrário a instalação recomeçará sem que você perceba.

 

Configuração do KDE

 

9. O sistema carrega e apresenta duas opções de apresentação — Conectiva 8 modo gráfico e Conectiva 8 modo texto —, além de uma para teste de memória (Memory Testing Utility). Escolha a primeira e tecle Enter. O sistema testa todos os dispositivos pendurados nele e entra no modo gráfico. Abre-se a janela de login e as opções de ambiente gráfico. Nessa primeira entrada, vá de root para ter poder de decisão sobre o que virá pela frente. Como ambiente gráfico, fique com o KDE 3.0 por enquanto. Clique Entrar.

10. O que entra em cena é o KPersonalizer, programa de configuração do KDE em cinco etapas. Na primeira, escolha país e idioma para o root e o usuário comum. Próximo. Na segunda etapa, cinco opções de interface aparecem: KDE padrão, Unix, Microsoft Windows, Apple Mac OS. Fique com a cara do KDE mesmo e parta para o passo três, os Enfeites, área de animações e outros efeitos que o próprio sistema recomenda utilizar com moderação para não comprometer a performance. Próximo. No passo quatro estão quatro tipos de tema: KDE, Platinum, Redmond e Sunshine. Mantenha-se no padrão KDE e, no passo cinco, clique Finalizar. A janela de dicas do assistente Kandalf que aparece a seguir pode ser fechada sem grande prejuízo.

11. O Linux está pronto para ser explorado. Na sua primeira incursão, familiarize-se com os botões da barra de tarefas, na faixa inferior da área de trabalho. O primeiro ícone da esquerda para a direita, um K dentro de uma engrenagem, abre com um clique o menu Iniciar Aplicação, onde estão listados todos os programas ativos da distribuição Conectiva. O segundo mostra a área de trabalho, o terceiro exibe o Centro de Controle dos dispositivos e programas e o quarto abre o Konsole e sua tela preta para as linhas de comando. O ícone em forma de bóia traz a Ajuda, a casinha leva ao diretório de arquivos pessoais, um primo do Meus Documentos do Windows, e o globo abre o Konqueror, uma mistura de gerenciador de arquivos com navegador de internet.

 

Conexão à internet

 

1. Prepare o micro para entrar na internet, começando pela checagem do modem. É preciso saber se ele modula e demodula sinais de telefone por hardware ou software. Se for por hardware, dificilmente terá problemas no Linux. Se for um Winmodem, talvez seja necessário substituí-lo.

2. No menu Iniciar Aplicativos, escolha Executar comando. Na janela de diálogo Comando de Execução, digite linuxconf e clique Executar. Na aba Configuração, procure Periféricos, selecione Modem e, na janela da direita, vá para a aba Configurador do Modem. Clique no botão Detect e aguarde. Uma vez reconhecido o modem, clique OK. Selecione a porta em que o modem foi encontrado — algo como /dev/ttyS1 (com 2 no DOS) — e clique Aceita. Feche a janela. Caso o seu modem não seja reconhecido de cara, abra o Konsole, digite pnpdump e Enter. Esse comando vai listar todos os dispositivos da máquina e provavelmente encontrará seu modem.

3. Para configurar sua conta de acesso, vá ao menu Iniciar, procure o item Internet e escolha KPPP, a ferramenta de conexão dial-up. Clique em Configuração e, na aba Modem, acione Perguntar ao Modem para ver as informações relacionadas ao dispositivo e conferir se ele está ativo. Clique Fechar. Na aba Contas, vá a Nova, clique em Assistente e siga as instruções para configurar conta, provedor, nome de usuário e senha. Em Prefixo de discagem, preencha apenas se estiver discando de um ramal. Clique OK e teste a configuração da conexão dial-up abrindo o Konqueror.

4. Se você for um possuidor de conexão em banda larga, a instalação vai ser muito mais fácil, uma vez que o Linux lida com redes com o pé nas costas. No teste do INFOLAB, desligamos a máquina, instalamos a placa cable modem do provedor Ajato que estava num PC com Windows e reiniciamos o micro. O sistema se acertou com o modem automaticamente. Bastou abrir o Konqueror e digitar um endereço para sair navegando.

 

OpenOffice

 

1. Acrescentar o OpenOffice 1.0.1 ao Conectiva Linux 8 é razoavelmente simples. Se você gravou o arquivo num CD, coloque o disco no leitor, clique no ícone do CD na área de trabalho e navegue pela estrutura do Konqueror até chegar ao arquivo de instalação OO 1.0.1 Linux Intel install Br.tar.gz. Clique com o botão direito do mouse sobre ele e, no menu, escolha Ark, um descompactador de arquivos. Se você baixou o arquivo da internet, localize o diretório em que o salvou, clique com o botão direito do mouse sobre ele e, no menu, escolha Extrair Aqui. Mande o arquivo extraído para o diretório root (ou outro que desejar).

2. Entre no diretório Normal, clique em Setup e — bingo! — abre-se o programa de instalação. Clique Próximo, Próximo e Aceitar. Preencha os dados do usuário (ou não), escolha a instalação padrão, de 217,5 MB, clique Próximo, defina o diretório, acione Instalar e vá tomar um café. Depois de uns cinco minutos, surge a tela de conclusão. Clique em Concluir e feche a janela do Konqueror.

 

Netscape

 

Siga os mesmos passos da instalação do OpenOffice para descompactar e instalar o browser Netscape. Caso ele se recuse a iniciar pelo modo gráfico, abra o Konsole, digite o caminho do arquivo e tecle Enter. Digite agora cd /root/netscape-installer e tecle Enter. A tela de instalação deve abrir. Clique Aceita e escolha a versão Full, que inclui plug-in para Flash e lê Java, importante para quem faz internet banking.

 

Softwares do pacote

 

Alguns programa como o Gimp, de tratamento de imagem, e o LICQ, de mensagens instantâneas, vêm no pacote da Conectiva mas não estão instalados. Faça-os funcionar indo direto ao Konsole. No caso do Gimp, digite gimp e tecle Enter. A instalação é rápida e automática.

 

Games

 

De posse dos CDs dos games Quake III Arena e Unreal Tournament, siga os mesmos procedimentos dos outros softwares — clique no ícone do CD, navegue até o arquivo de instalação e mande instalar. No teste do INFOLAB, instalamos os dois jogos, que funcionaram muito bem. Apenas o Quake se recusou a trabalhar em tela inteira. Jogamos de igual para igual com adversários Windows com Pentium III e 4.

 

Impressora

 

Em condições normais de temperatura e pressão, a instalação da impressora no Conectiva Linux 8 funciona assim:

1. Abra o Centro de Controle e, em Periféricos, procure Impressora. Se não estiver lá, clique em Sistema e escolha Gerenciador de Impressão. Você está no KDE Print. Se aparecer erro na confecção da lista de impressoras, ignore, dê OK. Clique no ícone Adicionar Impressora e, em Seleção de Backends, marque Impressora Local. Selecione a porta de conexão (serial, paralela ou USB) e clique Próximo. Defina a marca da impressora na lista da esquerda, e o modelo, na da direita. Próximo. Em Seleção de driver, prefira a opção Foomatic + gimp-print. Próximo. Acione o botão Testar para imprimir uma página de teste.

2. O KDE Print foi feito para detectar a impressora e selecionar o driver correspondente automaticamente. Mas não funcionou conosco. Seguimos os passos até Seleção de Backends, onde todas as opções estavam desabilitadas. Recorremos ao suporte da Conectiva, que disse ser necessário inicializar primeiro o gerenciador de impressão CUPS, sem o que não apareceriam os Backends. Para desentocá-los, abra o Konsole e, como root, execute [root@localhost root]# service cups start e tecle Enter.

3. Na primeira chamada, o CUPS pode demorar alguns instantes para indexar todos os modelos de impressora. Em seguida, chame o Gerenciador de Impressão, não se esquecendo de selecionar o CUPS como sistema de impressão. Os Backends vão aparecer. Tente fazer o teste de impressão. Se ainda assim a impressora não se mexer, verifique se o CUPS está ativo.

4. Abra um browser, digite http://localhost:631 e tecle Enter. Esse endereço acessa o configurador interno do CUPS. Se ele recusar a conexão, espere alguns minutos até a lista de impressoras se completar.

5. Feita a lista, configure a impressora por essa interface web mesmo. Clique em Administration e, na caixa de diálogo, digite root, a senha e clique OK. No item Printers, clique em Add Printer e dê um nome para ela. Clique em Continue. Selecione o tipo de porta, a marca da impressora, o modelo e o respectivo driver Foomatic + gimp-print. Clique no link com o nome da impressora e escolha Print Test Page.

6. Ainda não funcionou? Nesse caso, o suporte da Conectiva sugere pôr o Samba, um servidor de arquivos e de impressão para redes, para ajudar o CUPS. Coragem. No menu Iniciar, abra o editor de texto KEdit, clique em Abrir Arquivo, procure o /etc/rc.local e clique OK. Vá até o final do arquivo e inclua a linha modprobe printer para forçar o carregamento do driver. Salve e feche. Agora abra o Konsole, digite ntsysv, tecle Enter e marque as opções smb, inet e cups de forma que, ao ligar o computador, CUPS, Samba e seu parceiro inseparável inet iniciem automaticamente. Configure a impressora pelo Gerenciador de Impressão ou pela interface web, faça o teste e seja feliz — o INFOLAB foi.

 

Gravação de CD

 

1. Para gravar um CD, clique Iniciar, Multimídia e abra o queimador KOnCD. Se der erro — no nosso caso, o programa procurava um driver SCSI, embora o gravador seja IDE —, abra o Konsole e digite cdrecord -scanbus. O comando pede para o sistema dizer se detectou ou não o drive. Se não, digite modprobe ide-scsi e Enter. Digite ls mod e Enter e veja se aparece, abaixo da coluna module, algum ide-scsi. Apareceu? Ótimo. Feche o Konsole e reinicie a máquina.

2. Outro bom queimador de CDs é o Gnome Toaster, um pacote bem fácil de instalar: no Konsole, digite rpm -ivh gtoaster, tecle Tab para completar o nome do arquivo e Enter. Finalizada a instalação, digite gtoaster e tecle Enter. A tela do Gnome Toaster traz na parte superior a árvore de diretórios do PC e, embaixo, a do CD. Na liste Filename de cima, procure os arquivos que deseja gravar, arraste e solte na lista debaixo. Encerrada a seleção, clique no botão Record, na barra de ferramentas do programa. Acompanhe a gravação com as informações de tamanho de arquivo e velocidade que aparecem no rodapé da tela.

 

Reprodução de som

 

Gravou músicas em MP3? Então ouça no Noatun, primo-irmão do consagrado Winamp para Linux, que vem no pacote Conectiva. É eficiência máxima. Clique no arquivo MP3, WAV, ULAW, AIFF, MPEG (áudio e vídeo) ou Ogg Vorbis que deseja ouvir, e o programa abrirá automaticamente e ainda integrado com o Konqueror. O Noatun cria listas de músicas e aceita peles do mesmo jeito que o Winamp e até do próprio.

Caso o sistema não tenha configurado o som (aconteceu com o INFOLAB), abra o Konsole, digite o comando sndconfig e tecle Enter. Esse utilitário de configuração procura e configura a placa de som. No teste, você vai ouvir um tostão da voz de Linus Torvalds, o autor do kernel do Linux. Feche a janela, e aproveite.

Fonte: InfoExame

Compatilhe esse artigo!

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.