Motorola implementa primeira rede de internet sem fio em uma favela brasileira

A comunidade Santa Marta, localizada no bairro de Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro, está conectada à internet com as soluções de banda larga sem fio da Motorola. Instalado em fevereiro, o Santa Marta Digital foi idealizado pela Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia, em parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) e contou com o planejamento e execução da Mibra Engenharia, Parceiro de Soluções Motorola no Brasil. O projeto possibilita o acesso gratuito e sem fio à internet de alta velocidade em qualquer ponto do morro, por meio da tecnologia já utilizada no programa Orla Digital, da Praia de Copacabana.

Comunidade Santa Marta
Comunidade Santa Marta

“Percebemos que alguns moradores da Santa Marta têm condições de adquirir um computador, mas não conseguem pagar a mensalidade das operadoras”, explica o secretário Estadual de Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Rio de Janeiro Alexandre Cardoso. “O projeto abre novas perspectivas para estudantes e trabalhadores que, até agora, estavam excluídos do mundo digital, para a democratização do acesso à internet”, conclui Cardoso.

O Santa Marta Digital é uma rede com três pontos principais: internet gratuita para inclusão digital; utilização de serviços pela população, como consulta de processos, agendamento de perícias no INSS, pesquisas escolares, consultas no Detran, emissão de segunda via de contas, envio de currículos e criação de contas de e-mails; e acesso a microempresários, para ganhar competitividade na oferta dos seus produtos. No total, o governo do Estado do Rio de Janeiro investiu R$ 496 mil, em trabalho de pesquisa, equipamentos e serviços.

“Entendemos que o fornecimento de cobertura de rede é essencial para o desenvolvimento e integração no Brasil. Dessa forma, o Santa Marta Digital é um projeto pioneiro por seu impacto social em uma comunidade carente”, declara Joeval Martins, gerente de desenvolvimento de canais da área de Governo & Empresas da Motorola. “A utilização da tecnologia é uma maneira de o governo se integrar às pessoas e acompanhar o cotidiano dos cidadãos”, reitera Martins.

Estrutura de rede no morro

Com cerca de 10 mil moradores e 4 mil domicílios, a Santa Marta possui 1,6 mil computadores, dos quais 800 com conexão e sinal de 15 provedores comerciais. O sinal vem da Rede Rio, malha estadual de alta velocidade que integra universidades e centros de pesquisa do Estado do Rio. A conexão é do tipo ponto-a-ponto da Motorola, com tecnologia OFDM (orthogonal frequency-division multiplexing, na sigla em inglês), que permite o estabelecimento de conexões em longas distâncias e redistribui o sinal para módulos ponto-a-multiponto.

Para garantir a cobertura de rede em toda a extensão do morro, de 61 mil metros quadrados, foram instalados 16 módulos de rede WiMesh, que transmitem o sinal de internet via rádio. Uma parcela dos equipamentos faz parte do legado de telecomunicações dos Jogos Pan-Americanos de 2007, e foram concedidos ao projeto pela Secretaria de Segurança do Estado do Rio.

“Apesar de a densa ocupação da área afetar negativamente a propagação do sinal, a Mibra conseguiu flexibilizar satisfatoriamente a infraestrutura de conexão. Com o conhecimento do portfólio de soluções da Motorola, nossa equipe técnica elaborou um projeto que, após estudos detalhados, resultou no desenho final da rede”, diz Newton Trindade, diretor da Mibra Engenharia.

No mês de junho o acesso à internet deve chegar à Rocinha e à Baixada Fluminense, todos com a infraestrutura de rede da Motorola.

Compatilhe esse artigo!

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.