Para não dizer que não falei de arquivos…

Quando começamos a trabalhar com o Windows não temos noção de como ele aparece na nossa frente, muito menos de como acharemos alguma coisa nele.

Quando iniciantes, uma confusão que todos nós fazemos é com os arquivos. Um exemplo muito claro é quando se pergunta a um iniciante: “Onde você guardou aquela carta?”, ele responde: “Gravei no Word!”.

Esta resposta está errada, pois o Word é um aplicativo, portanto você não grava nada nele, você apenas o utiliza para uma aplicação, no caso, confeccionar e editorar textos.

Antes de mais nada, vamos explicar como tudo isto funciona: qual a utilização de cada “coisa” e como chamamos corretamente as partes desse sistema, para você, iniciante, não fazer feio em uma roda de Bitmaníacos.

SISTEMA OPERACIONAL

O computador é uma complexa máquina de realizar tarefas, ele as processa e dá um resultado. Tudo isto é feito em uma linguagem chamada: linguagem de máquina.

Para fazer ponte entre nós e a linguagem de máquina existe o sistema operacional, que nada mais é do que um programa que nos ajuda a configurar nossa máquina.

No sistema operacional funcionam “programinhas” que dizem para os aplicativos e utilitários onde estão, por exemplo, o disquete, a impressora, o mouse, etc.

É bom salientar que tudo no seu computador tem nome e endereço, são as chamadas portas, com certeza um tema para outra coluna.

O sistema operacional mais conhecido é o Microsoft Windows. Isto mesmo, a única função do Windows é direcionar os programas para seus pedidos, como, por exemplo: quando você manda o Microsoft Word imprimir, é o Windows que diz para onde aquele texto vai e qual a porta que o computador utiliza para transmití-lo para a impressora.

Existem outros sistemas operacionais, um que está bem na moda é o Linux, um sistema operacional mais difícil de operacionalizar para usuários iniciantes, poderemos falar dele mais adiante.

Se alguém pergunta pra você: “Qual o Windows que você usa?”, ele quer saber qual a versão do seu sistema operacional. É bom você saber isto, pois alguns programas só rodam com certas versões do sistema.

Para você saber qual o seu sistema operacional é muito fácil, dê um clique com o botão direito do mouse no ícone que está na área de trabalho, escolha na janela que apareceu, o item .

Veja que surge uma janela chamada “Propriedades do Sistema” com várias guias, mostrando o conteúdo da primeira, . Repare que a versão de seu sistema está escrita no canto superior direito desta guia.

APLICATIVOS E UTLITÁRIOS

O sistema operacional é responsável também pelo gerenciamento dos programas que você instala nele.

Todos estes programas, normalmente, geram arquivos que são chamados: arquivos de trabalho.

Se você usa o Microsoft Word, sua aplicação é de criação e editoração de textos, portanto você gera arquivos deste formato. Assim, quando você faz uma carta, você não grava no Word!

Os arquivos gerados por uma aplicação são gravados em um dispositivo de saída, este pode ser um disquete, um cd-rom, um zip disk, um disco rígido, etc.

O disco rígido, também chamado de HD (Hard-Disk), é o espaço dentro do seu micro onde estão instalados todos os seus programas e arquivos de trabalho.

ARQUIVOS

Os arquivos gerados por você recebem um nome. O aplicativo é responsável por uma espécie de crivo, que é a chamada extensão de arquivo.

A extensão do arquivo fará que tanto você como o sistema operacional reconheçam qual aplicativo o gerou.

Se, por exemplo, você criou um arquivo no Microsoft Word este arquivo receberá uma extensão “.DOC”.

Mas antes de gerar um arquivo e salvá-lo, vamos ver como eles se organizam.

Abra o Windows Explorer: //.

Repare na coluna da esquerda que aparece a letra que identifica suas unidades de disco, como, por exemplo: “Disque de 3/½ (A)”, etc.

A palavra chave para você entender tudo isto é: pasta. O armazenamento de arquivos funciona como um grande arquivo de ferro de um escritório.

Imagine um arquivo de ferro onde você irá armazenar as contas de sua empresa, como você faria?

Primeiro colocaria em cada gaveta as etiquetas: luz, água, telefone, condomínio, e assim por diante. Depois você colocaria em cada uma das pasta as seguintes etiquetas: janeiro, fevereiro, março, etc.

Quando fosse procurar uma conta de luz do mês de abril, não ficaria fácil?

Então faça a seguinte analogia: sua unidade de disco é o arquivo de ferro, cada gaveta corresponde a primeira linha de pastas, cada pasta do arquivo de ferro corresponde às sub-pastas e as contas seriam os arquivos armazenados.

Não é fácil? Portanto, você deve sempre atentar para o nome da pasta onde você está salvando seu documento e qual nome foi dado a este.

Quando perguntarem pra você da próxima vez onde salvou aquela carta, você responderá: ”Está salva na pasta Minha Pasta com o nome Meu Arquivo”.

Compatilhe esse artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.